Notícias Fecomercio

22 de fevereiro de 2018

Pauta prioritária do governo tem pontos positivos, mas não pode anular a Reforma da Previdência, avalia FecomercioSP


Segundo a Entidade, propostas anunciadas envolvem medidas microeconômicas importantes, mas algumas devem ser avaliadas com cautela

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) acredita que a pauta prioritária anunciada pelo governo federal na última segunda-feira (19) envolve medidas microeconômicas importantes, que tornam gradativamente o Brasil um lugar melhor para fazer negócios, mas que ainda é preciso um equilíbrio macroeconômico. Na análise da Entidade, as medidas são bem-vindas, porém, o governo não pode se eximir de fazer a Reforma da Previdência.
Mesmo com a paralisação da discussão no Congresso, alguns pontos da reforma podem ser avaliados sem que seja preciso uma alteração na Constituição Federal. Segundo a FecomercioSP, a mudança na regra do reajuste do salário mínimo seria o primeiro deles. Considerando o impacto que o valor do mínimo tem nas contas da Previdência, a Entidade defende que a fórmula de reajuste deveria levar em conta o Produto Interno Bruto (PIB) per capita do ano retrasado, em vez de se considerar no cálculo do salário mínimo o PIB real do ano retrasado.

Outra medida a ser levada em consideração em relação às mudanças na Previdência seria a de incentivos à adesão aos planos de previdência complementar. Considerando os elevados déficits da Previdência Social e a tendência de envelhecimento da população brasileira, a proposta é de que sejam criadas medidas que estimulem a educação financeira, incluindo o planejamento previdenciário. Campanhas educativas para o planejamento da aposentadoria e uma maior disseminação da importância à adesão aos planos de previdência complementar seriam formas que mudariam a cultura do País sobre o tema, estimulando, assim, os desenvolvimentos econômico e social. Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias