Notícias Fecomercio

11 de junho de 2018

Paulistanos pretendem gastar menos com presente do Dia dos Namorados, aponta pesquisa FecomercioSP


Segundo a Entidade, valor médio do presente deve ser de R$ 197, 4,4% a menos do que no ano passado; homens pretendem presentear mais

O consumidor paulistano pretende investir menos do que no ano passado no presente do Dia dos Namorados, é o que aponta uma sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que ouviu 1.118 consumidores da capital paulista nos dias 1º, 4 e 5 de junho. O valor médio do presente deve ser de R$ 197, recuo de 4,4% em relação a 2017, que foi de R$ 206. Os homens pretendem gastar um valor médio maior – de R$ 207, contra R$ 184 das mulheres.

A parcela de consumidores que pretendem presentear na data também caiu em relação ao ano passado. Entre os 63% dos consumidores que disseram ter namorado, esposo ou companheiro, 59% pretendem presentear – uma redução de 7 pontos porcentuais em relação a 2017. Na segmentação por gênero, 68% dos homens declararam ter intenção de presentear, enquanto no caso das mulheres, essa parcela foi de 50%.

A cautela do consumidor também é demonstrada com a busca pelo melhor preço. A maioria significativa (85%) respondeu que costuma pesquisar antes de comprar, e destes, 44% dizem que vão até três estabelecimentos; 36%, de três a seis lojas; e 17% pesquisam em mais de seis locais. Os 3% restantes não souberam responder.

Assim como no ano passado, a maioria dos consumidores realiza as compras mais próximos da data. Entre a véspera e uma semana antes, a soma dá 81%. Outros 10% costumam comprar com duas semanas de antecedência, e 6%, com prazo superior a três semanas. Os homens tendem a comprar mais na véspera do que as mulheres, 46% contra 36%.

Entre as nove atividades analisadas, as lojas de vestuário, tecidos e calçados são as mais beneficiadas pela data e tendem a mostrar movimento relevante mensal em junho, sendo tradicionalmente o segundo melhor mês do semestre, ficando abaixo apenas do volume de faturamento de maio, em decorrência do Dia das Mães. Neste ano, todavia, a expectativa é de que o segmento registre uma queda de 3% nas vendas em comparação ao mesmo mês de 2017. Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias