Notícias Fecomercio

4 de maio de 2018

Custo de vida na região metropolitana de São Paulo se mantém estável em março, aponta FecomercioSP


Alta nos preços dos grupos de alimentação e bebidas e de saúde no mês afetou as famílias de renda mais elevada

O custo de vida na região metropolitana de São Paulo ficou praticamente estável no mês de março, com variação de -0,01%. Em fevereiro, o indicador havia crescido 0,27%. Dessa forma, o índice registrou elevação de 0,32% no primeiro trimestre de 2018 e alta de 3,49% no acumulado dos últimos 12 meses.

Os dados são da pesquisa Custo de Vida por Classe Social (CVCS), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Entre as nove atividades que compõem o indicador, seis apresentaram alta. O segmento de alimentação e bebidas foi responsável pela principal contribuição no mês (0,37%), seguido pelo grupo saúde e cuidados pessoais, com acréscimo de 0,43% no mês.

Os segmentos de habitação (0,14%), vestuário (0,02%), despesas pessoais (0,38%) e educação (0,36%) também finalizaram março com variações positivas. Por outro lado, os grupos transporte (-0,91%), comunicação (-0,41%) e artigos do lar (-0,01%) registraram queda em seus preços médios no mês de março.

Na segmentação por renda, verificou-se que as classes de maior poder aquisitivo foram as que mais sentiram a alta dos preços no mês. Para as classes A e B, o custo de vida ficou cerca de 0,29% e 0,06% mais caro, respectivamente. Por outro lado, as classes E e D sinalizaram declínio em seu custo de vida médio, encerrando o mês com variações de -0,18% e -0,17%, consecutivamente. Confira a matéria completa aqui.

Voltar para Notícias