Notícias Fecomercio

29 de maio de 2018

Comércio que fecha cedo pode ter economia de energia com tarifa branca


Modalidade está disponível para 4,5 milhões de consumidores em 2018

Desde janeiro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) oferece aos consumidores de baixa tensão a tarifa branca de energia elétrica, uma modalidade em que o preço da energia varia conforme o dia e o horário de consumo. A opção pode ser vantajosa para os estabelecimentos comerciais, a depender do horário de suas operações.

A tarifa branca funciona da seguinte maneira: o período do dia em que há maior demanda por energia na área de concessão é chamada de “horário de ponta”, cuja duração é de três horas e varia conforme a distribuidora da região. Ocorre que, nessa modalidade, o custo da energia aumenta nos períodos de ponta e intermediários (as horas anterior e a posterior ao de ponta). Em contrapartida, o consumo é mais barato nos demais horários do dia.

Na capital paulista e em mais 23 municípios da região metropolitana de São Paulo atendidos pela AES Eletropaulo, por exemplo, o horário de ponta é das 17h30 às 20h29, sendo os horários intermediários das 16h30 às 17h29 e das 20h30 às 21h29. Nos demais períodos, o consumo de energia fica 13% mais barato pela tarifa branca. Contudo, nos horários de ponta e intermediários, o custo aumenta 93% e 26%, respectivamente.

O comerciante deve ficar atento ao fato de que o período de ponta muda durante o horário de verão e não vigora aos sábados, domingos e feriados nacionais. Além disso, as bandeiras tarifárias verde, amarela e vermelha continuam a ser aplicadas sobre essa modalidade de energia.

A modalidade está sendo implementada em três etapas. Inicialmente, a tarifa branca está disponível para novas instalações e unidades consumidoras de baixa tensão (127, 220, 380 ou 440 volts), cuja média anual de consumo mensal é superior a 500 kWh. A partir de 1º de janeiro de 2019, será a vez de imóveis com consumo mensal superior a 250 kWh, e no ano seguinte, de todas as ligações em baixa tensão.

De acordo com a Aneel, das 80 milhões de unidades consumidoras de energia no Brasil, aproximadamente 4,5 milhões (3,6%) podem solicitar a tarifa branca neste ano. Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias