Notícias Fecomercio

21 de março de 2018

Após seis meses de alta, varejo paulista volta a eliminar vagas formais em janeiro de 2018


Segundo FecomercioSP, período pós-festas de fim de ano fez o setor extinguir 17.874 empregos com carteira assinada

Após seis meses de resultados positivos, o comércio varejista do Estado de São Paulo voltou a eliminar postos formais de trabalho. Em janeiro, foram extintas 17.874 vagas com carteira assinada, resultado de 67.692 admissões e 85.566 desligamentos. Dessa forma, o varejo paulista encerrou o mês com um estoque ativo de 2.071.335 vínculos celetistas, leve alta de 0,2% em relação a janeiro do ano passado.

Os dados compõem a Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e o impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, calculado com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Em janeiro, os principais responsáveis pelo saldo geral negativo foram as lojas de vestuário, tecidos e calçados (-10.828 vagas) e os supermercados (-7.281 vagas), enquanto o varejo de materiais de construção e de autopeças e acessórios geraram 684 e 293 empregos com carteira assinada, respectivamente.

No acumulado dos últimos 12 meses, foram abertos 4.804 postos de trabalho, impulsionado pelos segmentos de supermercados (+7.465 vagas) e de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (+4.791 vagas). Em termos proporcionais, destaca-se também as farmácias e perfumarias cujo número total de empregos formais cresceu 2,6% em relação a janeiro de 2017. Confira a matéria completa aqui.

Voltar para Notícias