Home

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner

Cinco dicas sobre o serviço de blindagem de lojas virtuais


Amplie a foto

Recurso que certifica os sites e proporciona benefícios que vão além da segurança ao varejo on-line
(Arte TUTU)

Por Deisy de Assis 

Você sabia que é possível blindar um site? O serviço de blindagem é um conjunto de ações que garante maior segurança para as empresas do comércio eletrônico e para seus clientes. A principal são os scans automatizados e as simulações de ataques para encontrar vulnerabilidades. 

De acordo com o presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e CEO da Ebit, Pedro Guasti, trata-se de um recurso que certifica os sites e proporciona benefícios que vão além da segurança ao varejo on-line. A fidelização do consumidor é uma das mais relevantes. 

O diretor da Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas da Universidade São Judas Tadeu (USJT), Angelo Sebastião Zanini, afirma que há soluções acessíveis para micro e pequenos empresários do e-commerce. 

Confira as dicas de Guasti e Zanini. 

1 – Blindagem promove ações integradas 

A blindagem acontece a partir de diversas ações de segurança conjuntas, entre as quais se destacam os sistemas que identificam brechas para hackers ou ações fraudulentas. A detecção de problemas é possível a partir da simulação de invasões para avaliar e corrigir a vulnerabilidade do ambiente que dificilmente seria detectada sem essa varredura. 

O professor Zanini aponta outros pontos cruciais. A hospedagem do site em ambiente criptografado - que codificam as informações, as quais ficam restritas aos usuários que possuírem as chaves de acesso - e a autenticação segura do usuário. “Isso se dá com senhas fortes, tokens de autenticação ou biometria, sempre submetidos a testes.” 

“Com a blindagem, o local de acesso do usuário, que chamamos de estação, também fica seguro, sem vírus ou cavalos de troia que possam capturar informações”, afirma. 

2 – Segurança gera fidelização 

O recurso impede o vazamento de informações estratégicas da empresa e de dados sigilosos dos clientes, como a numeração de cartões bancários. Outra prevenção é contra compras com credenciais falsas, que geram prejuízos para o comércio. 

“Dessa forma, o cliente terá segurança total por parte do site, dependendo apenas dele assegurar o não vazamento do número do seu cartão do banco, login e senha utilizados na loja virtual em que estiver cadastrado”, diz Zanini. 

Guasti argumenta que toda solução que aumente a percepção dos consumidores de que é seguro comprar em uma loja virtual traz benefícios ao mercado. “Os selos de blindagem e certificação que usam tecnologias de segurança e avaliações de consumidores são os mais efetivos como Site Blindado e o selo de certificação Ebit, por exemplo.” 

3 – Fortalecendo a marca 

O presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da FecomercioSP frisa que a reputação de um pequeno varejista está diretamente ligada à capacidade de associar sua marca, geralmente pouco conhecida, a empresas de credibilidade. “Os selos de qualidade são grandes colaboradores da construção da marca.” 

4 – Custo viável 

A blindagem não é um recurso apenas para os varejistas com maior capital para investimentos ou com grandes centros de operações ou alta tecnologia em seus centros de informática. 

De acordo com o diretor da Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas da USJT, há soluções completas e seguras para e-commerce, desenvolvidas para o pequeno empresário. “Elas funcionam com cloud computing (computação na nuvem, por meio da qual é possível acessar arquivos e executar tarefas pela internet).” Zanini considera fundamental ampla pesquisa para que o empreendedor encontre o melhor serviço. 

5 – Preços conforme o porte 

Existem diferentes faixas de preços para uma empresa do comércio eletrônico investir na blindagem de seu site. Esses valores vão depender do tamanho do e-commerce. “Podemos considerar que os investimentos iniciem em, aproximadamente, R$ 1 mil por mês, mais um pequeno porcentual do valor das transações.” 

Para os microempresários, que não dispõem desse recurso, Guasti comenta que não há custos para o selo de certificação Ebit, todavia, é preciso investir nos recursos de segurança para obter o selo. 

Ele explica que algumas ferramentas de blindagem de sites são fáceis de implementar e exigem investimento mensal para seu funcionamento. Em qualquer caso é importante que o pequeno empresário use as informações e alertas para agir e melhorar a segurança e serviços prestados aos consumidores, caso contrário, terá feito investimento sem retorno.

Fonte: Fecomércio-SP


<< Voltar

    (14) 3622-5883 / 3624-5037
    Rua Rolando Damico, 381 - Vila Assis - Jaú - SP

    Imagem