Home

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner

Estabelecimentos do varejo e de serviços cativam clientela ciclista com ações simples


Amplie a foto

Com a instalação de pontos para estacionamento de bicicletas, comércios atendem ciclistas e contribuem com a mobilidade (Arte TUTU)

Por Deisy de Assis 

O público que faz da bicicleta o seu meio de locomoção tem ganhado mais atenção dos empresários dos setores do comércio e de serviços. Entre as medidas adotadas pelas empresas, estão a instalação de estacionamento para bikes, atendimento diferenciado e descontos. 

De acordo com o presidente do Conselho de Desenvolvimento Local da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Jorge Duarte, por fazerem parte da vida social da cidade, os estabelecimentos devem observar como ela se transforma e a melhor maneira de atender às novas necessidades. O aumento do fluxo de bicicletas é um bom exemplo de mudança recente na capital paulista. 

"Olhar para esse público e se articular para atraí-lo é estratégico para os negócios", comenta. Para Duarte, os comerciantes de pequenos bairros têm especial potencial de vendas com esse público, uma vez que regiões menores ainda são as que concentram maior número de pessoas que escolhem a bicicleta como meio de transporte para algumas tarefas do cotidiano. 

"Porém, com frequência faltam locais seguros para estacionar e essa potencial clientela deixa de consumir nos estabelecimentos menores. Isso se deve ao fato de que, optando pelo carro, acabam se dirigindo a supermercados grandes ou shoppings centers", argumenta o presidente do Conselho de Desenvolvimento Local da Entidade, que sugere que os comerciantes invistam em pontos para acomodar bicicletas.  

Bicicleta amiga do comércio

Esse cenário de potencial com entraves a serem solucionados foi o que motivou a Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Cliclocidade) a criar a Campanha Bicicleta Amiga do Comércio. Idealizada em 2014, o objetivo da ação é incentivar o uso das bikes como meio de transporte e promover a sensibilização nos comércios sobre a importância de oferecer recursos simples que permitem que ciclistas parem e consumam. 

"Por meio de uma cartilha, de adesivos para identificar os estabelecimentos que aderiram à campanha e de vídeos com cases de sucessos no Brasil e em outros países, atingimos aproximadamente 500 comércios de todas as regiões de São Paulo", conta uma das coordenadoras da campanha, Anita Delmonte. 

Ela, que pedala pelo menos 7,5 km por dia para ir ao trabalho, explica que a campanha tem como pilar principal informar e promover a ideia de que as medidas simples agregam não só ao cliente, mas ao negócio.  

Loja oferece desconto a ciclistas

A Ótica São Vicente, no bairro de Perdizes, zona oeste de São Paulo, é uma das empresas que aderiu à campanha da Ciclocidade e há um ano instalou um paraciclo (estruturas metálicas para estacionar bicicletas) em frente à loja.

Júlia Ruic, do setor de marketing da empresa, comenta que a medida foi uma forma de influenciar, mesmo que indiretamente, o uso das bicicletas. "Estamos nos adaptando às mudanças da cidade e queremos beneficiar todos os ciclistas que pedalam pelo bairro, não apenas os clientes da ótica."

Ela diz que a intenção foi ser gentil com esse público, levando em conta que há poucas opções seguras para estacionar bikes na região. "Trabalhamos no ramo óptico, em que se lida com saúde, e somos a favor de toda mudança que contribua com a promoção do bem-estar da sociedade", afirma Júlia, que considera nítido o reconhecimento da clientela.

Mas a loja não se limitou a instalar o paraciclo e passou a oferecer um desconto de 25% no valor das armações aos clientes que utilizam a bike para ir ao estabelecimento. "Temos também o cuidado de verificar se o ciclista quer um copo com água, por exemplo, para proporcionar conforto depois de pedalarem." 

Articulação entre empresários

O presidente do Conselho de Desenvolvimento Local da FecomercioSP diz que comerciantes com estabelecimentos em vias de grande fluxo podem e devem se organizar para elaborar propostas mais articuladas.  

Nas vias de grande fluxo, por exemplo, ele aponta que impactos consideráveis seriam alcançados com um projeto maior de instalação de paraciclos por trechos longos. "Eles agregariam ainda mais valor ao negócio, comparado a projetos isolados." 

Como instalar um paraciclo

O paraciclo mais utilizado e considerado o mais adequado pelos ciclistas é o arco em forma de "U" invertido. No mercado, é encontrado com preço médio de R$ 300. 

Para a implementação de um estacionamento para bikes, o estabelecimento deve seguir as normas que podem ser encontradas no Manual para Instalação de Paraciclos na cidade de São Paulo, disponibilizado pela Companhia de Engenharia de Tráfego.  

No manual estão os critérios para a instalação do equipamento em via pública, que foram estabelecidos pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, por meio da Comissão de Proteção da Paisagem Urbana. 

Fonte: Fecomércio-SP


<< Voltar

    (14) 3622-5883 / 3624-5037
    Rua Rolando Damico, 381 - Vila Assis - Jaú - SP

    Imagem