Home

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner

Setor de serviços paulista elimina mais de 138 mil empregos formais em um ano, aponta Fecomércio-SP


Amplie a foto

Em fevereiro, o saldo de empregos formais no setor de serviços no Estado de São Paulo foi positivo em 5.905, resultado de 199.520 admissões e 193.615 desligamentos. Apesar de positivo, foi o menor valor para o mês desde 2007, início da série histórica. 

Nos dois primeiros meses do ano, o saldo é negativo em 1.511 empregos. No saldo acumulado de março de 2015 a fevereiro deste ano, foram fechados 138.710 postos de trabalho no setor de serviços paulista. Para se ter uma ideia do ritmo acelerado de eliminação de empregos formais no setor, em fevereiro de 2015, o saldo acumulado nos 12 meses anteriores era positivo em 79.010 empregos. 

Os dados compõem a inédita Pesquisa de Emprego no Setor de Serviços do Estado de São Paulo (PESP Serviços), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e o impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, calculado com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais). 

Das doze atividades pesquisadas, nove apresentaram queda no estoque de empregos na comparação entre fevereiro e o mesmo mês de 2015. Os destaques negativos foram as atividades de informação e comunicação (-4,3%), transporte e armazenagem (-4%) e administrativas e serviços complementares (-3,6%). Apenas o setor de serviços médicos, odontológicos e serviços sociais apresentou crescimento significativo (+1,1%) do estoque de funcionários. 

Segundo a FecomercioSP, o desempenho do mercado de trabalho do setor de serviços está alinhado com o cenário brasileiro.  Para a assessoria econômica da Entidade, a redução do quadro de empregados se dá por uma demanda cada vez mais fraca tanto por parte das famílias, que estão reduzindo o consumo, quanto por parte das empresas, que estão cortando despesas em atividades como consultoria e publicidade, por exemplo. 

Com relação aos dados por ocupações, os maiores saldos negativos foram observados nas seguintes funções: Escriturários em geral, agentes, assistentes e auxiliares administrativos, com o fechamento de 2.451 postos de trabalho, seguido por vendedores e demonstradores (-2.184) e pelos trabalhadores de informações ao público (-1.746). 

Capital paulista

Foram eliminados 693 postos de trabalho no setor de serviços da cidade de São Paulo em fevereiro; e no ano são 3.219 empregos formais a menos. No acumulado dos últimos 12 meses a redução chega a 48.715 empregos com carteira assinada, o que representa uma redução de 1,4% do estoque total de trabalhadores assim como no âmbito estadual, trata-se da maior queda já registrada desde 2007.  

A eliminação de vagas está diretamente relacionada à queda das receitas do setor. Segundo a Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços (PCSS), realizada pela FecomercioSP a partir dos dados de arrecadação do ISS fornecidos pela Prefeitura de São Paulo, o faturamento real do setor de serviços da capital caiu 3,1% nos doze meses até janeiro de 2016. 

Das 12 atividades analisadas na pesquisa de emprego, o destaque negativo de fevereiro ficou por conta do setor de serviços de informação e comunicação (-1.887 postos de trabalho), com destaque para os serviços de tecnologia da informação (-939 vagas). Por outro lado, foi registrado desempenho positivo em serviços educacionais, com a criação de 4.247 postos de trabalho. 


<< Voltar

    (14) 3622-5883 / 3624-5037
    Rua Rolando Damico, 381 - Vila Assis - Jaú - SP

    Imagem