Home

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner

Intenção de Consumo das Famílias atinge 66,7 pontos em abril e retrata receio do paulistano em comprometer a renda


Amplie a foto

Em abril, o Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) apresentou queda de 5,5% em comparação com o mês anterior e registrou 66,7 pontos, ante os 70,6 observados em março. No comparativo com o mesmo período do ano passado, quando registrou 100,1 pontos, o índice sofreu forte queda de 33,4%. 

O ICF é apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e varia de zero a 200 pontos, sendo que abaixo de 100 pontos significa insatisfação e acima de 100 satisfação em relação às condições de consumo. 

Dos sete itens que compõem o indicador, todos apresentaram retração no comparativo mensal.Momento para duráveis foi o que apresentou a maior queda no mês (-11,5%) e atingiu 41,1 pontos, o menor valor já registrado para o item desde 2010, quando a pesquisa começou a ser realizada. O segmento nível de consumo atual renovou em abril seu mínimo histórico ao atingir 38,6 pontos, o que significa que 68% dos paulistanos estão comprando menos do que no mesmo período do ano passado. A categoria perspectiva de consumo segue a mesma linha, com queda mensal de 4,2% ao atingir 50,1 pontos. 

De acordo com a FecomercioSP, as causas deste movimento de retração no nível de consumo estão ligadas à inflação - que corrói o poder de compra - e ao aumento do desemprego, que deixa os consumidores mais receosos em comprometer sua renda. 

Outro item que apresentou retração no mês foi renda atual (-6,6%), que chegou a 80,8 pontos. Assim como o acesso de crédito (-1,1%), que também ficou abaixo dos 100 pontos e atingiu 67,7 em abril. 

Já os itens emprego atual e perspectiva profissional revelam a insatisfação do paulistano com a situação do mercado de trabalho, uma vez que ambos ficaram abaixo dos 100 pontos (91,9 e 96,7 pontos, respectivamente). 

Para a assessoria econômica da Federação, os dados demostram insegurança em relação à atual situação do emprego e um pessimismo em relação à evolução profissional para os próximos meses. Com o resultado de abril, o ICF tem no ano duas elevações nos dois primeiros meses e duas quedas nos dois meses seguintes. Ainda de acordo com a Entidade, essa oscilação será a tendência para os próximos resultados devido à instabilidade do cenário econômico e, principalmente, político. Os consumidores tendem, com isso, a manter uma gestão conservadora do orçamento doméstico, cortando gastos e evitando o endividamento.

Fonte: Fecomércio-SP


<< Voltar

    (14) 3622-5883 / 3624-5037
    Rua Rolando Damico, 381 - Vila Assis - Jaú - SP

    Imagem