Home

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner

Índice de Consumo das Famílias tem queda anual recorde de 40,1%, aponta FecomercioSP


Amplie a foto

O consumidor priorizou os bens mais necessários, como compras em supermercados e medicamentos (Arte TUTU)

O período de compras de Natal chegou com o menor nível de intenção de compra das famílias desde 2010. Pelo 13° mês seguido, o Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) apresentou queda. Em novembro, a retração foi de 4% na comparação com o mês anterior, e o indicador atingiu 65,3 pontos. No comparativo com o mesmo período de 2014, houve queda recorde de 40,1%.

O índice é apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e varia de zero a 200 pontos, no qual abaixo de cem pontos significa insatisfação, ao passo que acima de cem pontos representa satisfação em relação às condições de consumo.

É o quarto mês seguido em que os sete itens que compõem o ICF ficam abaixo dos cem pontos, o que representa insatisfação quanto a emprego, renda e consumo. O destaque negativo ficou por conta do item Nível de consumo atual, que retraiu 7,2% na comparação com outubro e atingiu 41,2 pontos. Isso significa que 67% dos paulistanos estão comprando menos neste momento em relação ao mesmo período de 2014, quando essa parcela era de 40%. Em relação à Perspectiva de consumo, o item recuou 5,7% e registrou 45,4 pontos.

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, desde o ano passado o consumidor priorizou os bens de primeira necessidade, como compras em supermercados e medicamentos, deixando para segundo plano os gastos com bens duráveis. A Entidade ressalta que esse posicionamento mais cauteloso por parte dos paulistanos certamente se refletirá nas compras de Natal.Tanto que o item Momento para duráveis chegou aos 41,3 pontos, ao apresentar, em novembro, queda de 5,9% na comparação com outubro, demonstrando que 78% das famílias paulistanas consideram um mau momento para aquisição de bens duráveis (geladeira, fogão, som, carro etc.).

Já o item Renda atual atingiu 77,2 pontos em novembro e caiu 4,6% na comparação com o mês anterior. Assim como o item Acesso ao crédito, que sofreu um leve recuo de 0,5% e registrou 70 pontos, sinalizando que a alta dos juros e a seletividade dos bancos dificultaram a aquisição de crédito.

Por outro lado, os itens mais bem avaliados do ICF foram os relacionados ao emprego, mesmo estando no patamar de insatisfação (abaixo dos cem pontos): Emprego atual ficou 3,5% abaixo do valor registrado em outubro e chegou a 91 pontos, enquanto Perspectiva profissional retraiu 3,3% e alcançou 91,3 pontos.

Renda

A pesquisa aponta que a intenção de consumo das famílias com ganhos acima de dez salários mínimos atingiu 60,2 pontos e registrou retração mensal de 7,9%, e retração anual de 42%. Já o índice das famílias com renda inferior a dez salários mínimos registrou 67,1 pontos, com recuos de 2,7% em relação a outubro e de 39,5% no comparativo com novembro do ano anterior.

Para a FecomercioSP, em razão da atual crise econômica brasileira, a expectativa é que o ciclo recessivo no País permaneça em 2016. De olho na alta dos preços e no aumento do desemprego, a Entidade alerta para a importância das famílias se protegerem e se prepararem para o pagamento de dívidas como IPTU, IPVA, matrícula e material escolar no início do próximo ano.

Fonte: Fecomércio-SP


<< Voltar

    (14) 3622-5883 / 3624-5037
    Rua Rolando Damico, 381 - Vila Assis - Jaú - SP

    Imagem