Home

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner

Índice de Consumo das Famílias segue trajetória de queda e recua 36,2% em 12 meses


Amplie a foto

Em setembro, o Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) apresentou a décima primeira retração consecutiva e atingiu mais uma vez a menor pontuação da série histórica, iniciada em janeiro de 2010: 69,8 pontos, queda de 0,3% na comparação mensal. No comparativo com o mesmo mês de 2014 (109,4 pontos), a retração foi ainda mais expressiva e atingiu 36,2%.

O índice é apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e varia de zero a 200 pontos, no qual abaixo de cem pontos significa insatisfação e, acima de cem pontos, satisfação em relação às condições de consumo.

É o segundo mês consecutivo em que os setes componentes do ICF estão abaixo dos 100 pontos, o que demonstra insatisfação com o emprego, renda e consumo.Entre os itens que compõe o indicador, Acesso a Crédito apresentou a maior variação mensal negativa e passou de 76,7 pontos em agosto para 74 em setembro, queda de 3,5%. Os itens Nível de Consumo Atual e Perspectiva de Consumo também apresentaram queda e atingiram 46,4 e 49,8 pontos, respectivamente.

A dificuldade de conseguir crédito, aliada à restrição de renda e ao futuro incerto da economia, complica o cenário do item Momento para Duráveis, que, embora tenha registrado leve alta de 1,5%, no comparativo mensal e atingindo 45,1 pontos, na comparação anual foi o que mais caiu: -51,8%.

A pesquisa mostra que os paulistanos também estão cada vez menos satisfeitos com seu nível de renda e emprego. Os itens Renda Atual e Emprego Atual caíram 0,8% e 0,7%, respectivamente, ante agosto, atingindo no mês 83,4 e 96,1 pontos. Por outro lado, a Perspectiva profissional, apesar da variação positiva de 3,7%, atingiu 93,6 pontos.

Segundo a assessoria econômica da Federação, o resultado revela uma continuidade da insatisfação do paulistano com a situação socioeconômica do País. A intenção de consumo 36,2% menor que a do ano passado é reflexo de uma inflação próxima de 10% e do desemprego subindo, o que deixa as famílias cada vez mais preocupadas e insatisfeitas, pois não conseguem ver um horizonte de melhora.

Para a FecomercioSP, a expectativa é que o indicador continue com tendência de queda, o que deve piorar ainda mais as projeções, já negativas, para o desempenho das vendas no final de ano.

Renda

A análise por faixa de renda deste mês revela que o ICF em ambas as classes está abaixo dos 100 pontos, no patamar de insatisfação, portanto. Enquanto, entre as famílias que ganham acima de 10 salários mínimos, o indicador atingiu pontuação de 68,3, alta de 0,7% em relação a agosto, no caso das com renda mais baixa ele registrou queda de 0,6% e atingiu 70,3 pontos.

 


<< Voltar

    (14) 3622-5883 / 3624-5037
    Rua Rolando Damico, 381 - Vila Assis - Jaú - SP

    Imagem