Home

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner

Educação e combustível elevam custo de vida do paulistano


Amplie a foto

Grupo Educação encerra mês de fevereiro com alta de 6,39% e exerce a maior pressão sobre os preços
(Foto: Creative Commons)

O Custo de Vida por Classe Social (CVCS) registrou em fevereiro elevação de 1,26% na comparação com janeiro. Essa foi a maior aceleração mensal de preços da série histórica do índice. O acumulado no ano de 2015 e o acumulado nos últimos 12 meses também atingiram marcas máximas da série, com acréscimos de 2,48% e 6,95%. A pesquisa é realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Responsável por 30,2% do aumento geral do índice, o grupo Educação exerceu a maior pressão sobre os preços, encerrando o mês com alta de 6,39%, levemente menor que os 6,79% ocorridos em fevereiro de 2014. O segmento de Transportes, representando 27,8% do total apurado, exerceu a segunda maior influência, com aumento de 1,64% - trata-se do terceiro aumento consecutivo significativo: 1,87% em dezembro e 1,65% em janeiro. O grupo já acumulou nestes dois primeiros meses de 2015 alta de 3,32%. No mesmo período de 2014, o acúmulo era de apenas 0,43%. A classe B foi a mais impactada pela alta do custo de vida, ao registrar variação de 1,48%. Entre todos os estratos sociais, a classe B é que mais gasta com educação (9,9% do orçamento) e a segunda que mais gasta com transporte (23,3% do orçamento).

O Índice de Preços do Varejo (IPV), indicador que compõem a CVCS e mede a variação no preço dos produtos, avançou 1,21% em fevereiro - a maior alta registrada desde janeiro de 2013, quando atingiu 1,29%. No acumulado dos últimos 12 meses, houve elevação de 5,29%. O principal responsável pela elevação do indicador foi o grupo Transportes, com alta de 3,67%. Nesse grupo, a gasolina obteve a maior alta da série histórica (7,53%) na comparação mensal, já o etanol obteve uma variação positiva de 7,61%. Houve aumento também no preço do automóvel novo (2,9%) e óleo diesel (4,7%).

Já o Índice de Preços de Serviços (IPS), que também constitui a pesquisa, registrou elevação de 1,32% em fevereiro e 8,72% no acumulado em 12 meses. O grupo que mais contribuiu foi Educação, com alta de 6,82%. Entre os itens que compõem o grupo, cursos de idiomas tiveram a maior variação (13,5%). Na sequência, vieram ensino fundamental (9,3%), educação infantil (9,1%), ensino médio (8,8%), curso de informática (8,5%), ensino superior (5,1%) e curso técnico (5%).

A assessoria econômica da FecomercioSP considera que os preços dos produtos e serviços contribuíram de modo equilibrado com o aumento do CVCS em fevereiro. O aumento da tributação sobre o combustível anunciado em janeiro pelo governo impactou significativamente e fez com que o produto fosse responsável por mais da metade da inflação no mês. Quanto ao IPS, como já era previsto, a maior influência veio dos reajustes de preços no grupo educação.

Fonte: Fecomércio-SP


<< Voltar

    (14) 3622-5883 / 3624-5037
    Rua Rolando Damico, 381 - Vila Assis - Jaú - SP

    Imagem