Home

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner

Economia brasileira perto do crescimento zero


Amplie a foto

A taxa de crescimento do País deve se aproximar de zero já no terceiro trimestre deste ano. A tendência ficou evidenciada depois que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os últimos números do Produto Interno Bruto (PIB) nesta sexta-feira (29). O PIB encolheu 0,6% no segundo trimestre de 2014 em relação ao primeiro trimestre do ano e recuou 0,9% na comparação com o mesmo trimestre de 2013. Em quatro trimestres, o resultado é positivo em 1,4%. No ano, o crescimento é de apenas 0,5%. 

A queda supera as expectativas pessimistas da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Até a divulgação dos últimos dados, a Entidade trabalhava com uma taxa de crescimento entre 0,5% e 1%. A revisão deve trazer esta faixa para algo entre 0% e 0,5%, com o antigo “piso” se tornando o novo “teto”. 

Entre os setores analisados, o que mais preocupa na comparação do segundo trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado é o crescimento de apenas 0,2% do setor de serviços, que era o sustentáculo do atual modelo econômico. Dentro de serviços, o quadro é pior porque, extraindo a parte do governo, o crescimento provavelmente já é zero.

A queda da indústria é bastante relevante, mas já era antecipada por quase todos os analistas. Isso indica que a indústria já passa há tempos por uma redução de seu tamanho e capacidade produtiva, e não há perspectivas de melhoria para o curto e médio prazos. A tendência é de que o crescimento industrial registre taxas negativas também em 2015.

Causa apreensão ainda o fato de que a agropecuária - setor mais produtivo e competitivo do País – apresente crescimento zero em relação ao segundo trimestre do ano passado. Se o Brasil já não contava com a indústria para crescer nos últimos anos, agora não poderá mais contar com o consumo e deverá deixar de contar também com o setor agropecuário.

Preocupação com equipe econômica

A FecomercioSP tem se preocupado bastante com as reações da equipe econômica que se recusa em aceitar o fato de que algo está errado e de que há necessidade de mudança. O discurso de que a crise brasileira é produto da crise internacional, além de falso, não convence nenhum empresário ou investidor. O mundo está acelerando seu crescimento, notadamente com a aceleração do PIB norte-americano, que foi justamente o epicentro da crise em 2008.

Empresários e investidores, já com confiança bastante reduzida na economia brasileira, ao perceberem que não há claras indicações de que o diagnóstico do governo e das autoridades econômicas para os problemas seja o correto, tendem a manter-se em espera. Se o governo insiste em que está tudo bem, isso indica que não haverá mudanças. O diagnóstico errado implica em prognóstico ineficaz.

Legenda: O PIB encolheu 0,6% no segundo trimestre de 2014 em relação ao primeiro trimestre do ano e recuou 0,9% na comparação com o mesmo trimestre de 2013. (Arquivo/Sxc.hu)


<< Voltar

    (14) 3622-5883 / 3624-5037
    Rua Rolando Damico, 381 - Vila Assis - Jaú - SP

    Imagem